TOP 10 - Obras de Arte roubadas e não encontradas

A arte tem sido uma das mercadorias mais valiosas do mundo e, portanto, museus e galerias têm sido alvo de ladrões de arte que planejam fazer roubos lucrativos.


Abaixo selecionamos algumas das mais importantes obras de arte já roubadas.


1. Desaparecida no maior roubo de arte de todos os tempos, O Concerto (1664) de Johannes Vermeer é considerada a pintura roubada mais valiosa do mundo, estimada em mais de 200 milhões de dólares. A obra foi roubada, juntamente com outras 12 obras-primas, do Museu Isabella Stewart Gardner, em Boston, em 1990. Nenhuma das obras foi encontrada e seu valor total é estimado 500 milhões de dólares.





2. Também roubada durante o assalto ao Museu Isabella Stewart Gardner, Tempestade Do Mar Da Galiléia (1633) é a única pintura conhecida de Rembrandt sobre o mar, e foi criada em meados do século XVII.












3. A pintura Still Life with Candlestick de Fernand Leger, datada de 1922, foi o alvo específico do assalto de maio de 2010 ao Museu de Arte Moderna de Paris. O negociante de antiguidades Jean-Michel Corvez contratou Vjeran Tomic, conhecido como Homem-Aranha por seus roubos ilusórios, para levar o Leger, mas Tomic acabou roubando outras quatro obras de Picasso, Modigliani, Matisse e Braque. As obras foram entregues ao revendedor Yonathan Birn, que diz que as destruiu após a polícia ter descoberto o caso.






4. Uma das obras cubistas de Pablo Picasso, Le Pigeon Aux Petit Pois (1911), também foi roubada do Museu de Arte Moderna de Paris em 2010 junto com o Leger, e é estimada em 28 milhões de dólares.












5. Poppy Flowers, de Vincent van Gogh, foi cortada de sua moldura no Museu Mohamed Mohmoud Khalil, no Cairo, em 2010. Estimada em 50 milhões de dólares, o trabalho foi pintado em 1887, três anos antes do sui

cídio de van Gogh.







6. O presépio Natividade com São Francisco e São Lourenço de Caravaggio data de 1600, foi roubado de uma igreja barroca em Palermo, na Sicília. A igreja foi assaltada em 1969, supostamente pela máfia siciliana, que levou o Caravaggio e outras peças valiosas.











7. A obra Retrato de um jovem (1513-14), supostamente um autorretrato do artista Rafael, foi rouba em um museu na Cracóvia, durante a Segunda Guerra Mundial pela Gestapo e passou a fazer parte da coleção do líder nazista Hans Frank. Quando Frank foi preso em 1945 por crimes de guerra, a pintura não pôde ser encontrada entre suas propriedades confiscadas. Acredita-se que valha mais de 100 milhões de dólares.







8. Considerado um dos retábulos mais importantes do mundo, O Retábulo de Ghent data do início do século XV, e foi pintado pelos irmãos Jan Van Eyck e Hubert Van Eyck. Os Juízes Justos - um dos quadros que fazia parte do retábulo composto de 12 painéis - foi roubado em 1934.













9. Um roubo que parece roteiro de filme, Vista de Auvers-sur-Oise (1879-1882), de Paul Cézanne, foi roubada à meia-noite de 1º de janeiro de 2000, do museu de arte da Universidade de Oxford. A obra havia sido doada ao museu da Universidade de Oxford por um casal de refugiados alemães que haviam fugido para Oxford durante a Segunda Guerra Mundial. A obra é avaliada em cerca de 5 milhões de dólares.


10. Pertencente a série Charing Cross Bridge pintada entre 1899-1905, por Monet em Londres, a obra roubada em 2012, estava no Museu Kunsthal, na Holanda. Juntamente com outra pintura de Monet e cinco obras de artistas famosos, incluindo Matisse, Gauguin e Picasso. Os autores foram presos, mas as pinturas nunca foram encontradas. A mãe de um dos ladrões alegou que havia queimado as obras para absolver o filho do envolvimento, mas depois negou a declaração, embora as autoridades tenham encontrado restos de tinta em sua lareira. Todas as sete obras foram estimadas em um total de 300 milhões de dólares.

A busca por obras de arte roubadas movimenta o cenário internacional. O site do FBI mantém uma lista atualizada sobre o que considera os 10 maiores roubos da história. Entre as obras citadas na lista do FBI e em nosso blog estão: Natividade com São Francisco e São Lourenço de Caravaggio e Vista de Auvers-sur-Oise de Paul Cézanne.


No top 10 do FBI constam, inclusive, as obras roubadas do Museu Chácara do Céu, no Rio de Janeiro em 2004. A história do roubo se transformou no livro A Arte do Descaso, sobre o qual a galerista Marina Dal Ponte já falou em nossas redes sociais.



Em nosso IGTV nós já falamos sobre o roubo da Monalisa de Leonardo da Vinci e de Retrato de uma Dama de Gustav Klimt, obras essas, já recuperadas.




Na semana que vem vamos falar sobre outros roubos de obras de arte que viraram notícia.


Assine nossa Newsletter e receba nossos posts em primeira mão.



054 3878 3723

Rua Dr. Ricardo Stumhoffel, 120, Centro,

Gramado, RS