Arte Ambiental - O ativismo através das expressões artísticas

Atualizado: 11 de Out de 2019

A arte é multifacetada, e talvez por isso ela seja tão importante culturalmente, e tão pertinente para tratar de temas diversos.

Isso porquê a arte é a representação dos sentimentos humanos.


Alegria, raiva, amor, inconformismo, não importa o sentimento, todos eles podem ser passados para uma tela, uma escultura ou uma instalação.

Painel feito com material reciclado por Vik Muniz [autor do documentário intitulado “Lixo Extraordinário]

Dentro dessa mistura de sentimentos, a partir de fins da década de 60 e início da década de 70, surge a Arte Ambiental. Como uma resposta às mudanças desenfreadas do clima e do meio ambiente, a arte assume um lugar no ativismo ambiental, questionando, atentando, conscientizando e reverenciando a beleza natural, com o intuito de alertar para a necessidade de termos mais responsabilidade com o nosso entorno.


A intervenção está em Londres e lê-se: "não acredito em aquecimento global", desaparecendo embaixo d'água. Banksy, 2009.

A Arte Ambiental possui diferentes formas de atingir seus espectadores, seja através do choque e do confrontamento, seja através da beleza das obras. O grande trunfo da arte no campo do ativismo ambiental está no fato de as manifestações artísticas se apoiarem menos na esfera racional e mais na emocional, tornando mais fácil esse despertar para a causa.

Em 2009, esta escultura gigante de um urso polar ilhado em um bloco de gelou flutuou 7,5 milhas, de Greenwich até Londres para destacar o derretimento das calotas polares. Eden TV, 2009.

Dentre as vertentes da Arte Ambiental, que são tão vastas quanto o ambiente natural, podemos destacar algumas.

Land art, Earthwork ou Earth Art


Neste tipo de obra, o terreno natural atua como objeto, se integrando à obra. A exposição dessas obras só pode ser conhecida de forma presencial ou através das fotografias das mesmas. Essas obras têm caráter efêmero, pois a ação dos eventos naturais consome e destrói os trabalhos.


Art in nature


Ainda mais efêmera que a land art (da qual é uma vertente), essa produção artística também tem seu local deslocado para a natureza, onde a obra é construída com materiais orgânicos encontrados no ambiente, que são rearranjados em formatos geométricos.


Arte ecológica, eco-arte ou arte sustentável


As questões ambientais são mais aparentes no discurso desse tipo de arte, que normalmente procura novas maneiras de ressignificar o que está no meio ambiente por causa do homem, caso do lixo, por exemplo, ou a natureza diretamente afetada por ela.




Dentro do mês dedicado a repensar nossa relação com o meio ambiente, e alinhada com a causa ambiental, a Galeria Arte12b, em Gramado, se propôs a incentivar o diálogo entre natureza e arte.


A partir do dia 28 de junho, a galeria recebe a exposição Alma Silvestre, com peças da artista plástica Marília Klein. Que tem como filosofia despertar às pessoas para o cuidado com nossos animais silvestres.

Através de um olhar sensível e humano, a artista dá vida a esculturas ricas em detalhes e que exaltam a riqueza da nossa fauna.



054 3878 3723

Rua Dr. Ricardo Stumhoffel, 120, Centro,

Gramado, RS