A Representação das Mães na Arte

Retratar a maternidade sempre exerceu fascínio sobre os artistas. Desde o renascimento até os dias atuais contamos com uma enorme variedade de representações.

 
Virgem do Cravo, Leonardo da Vinci
Virgem do Cravo, Leonardo da Vinci (1478 -1480 )

Durante o renascimento retratos de mães com seus filhos não era algo comum.

Em decorrência disso, a imagem da Virgem Maria com o Menino Jesus permitiu que a figura da mãe terna e cuidadosa fosse eternizada na arte.


Maria Antonieta e seus filhos - Vigée Le Brun (1787)

Durante o Rococó e o período Neoclassicista, a figura da mulher estava profundamente ligada ao papel de mãe.

Assim o retrato da mulher com a presença dos filhos foi se popularizando cada vez mais.


Mãe amamentando bebe - Pierre August Renoir (1893–1894)
Mãe amamentando bebe - Renoir (1893–1894)

Os Impressionistas rompem com a função formal do retrato, a pintura passa a ter uma função muito mais subjetiva, aonde se busca captar a "essência do momento".


Na obra acima podemos observar uma mãe na sua intimidade, calidamente olhando seu bebê com um sorriso de satisfação na face.


As Três Idades da Mulher - Gustav Klimt (1905)

Durante o efervescente início do século XX surgiram diferentes vanguardas, que permitiram aos artistas total liberdade criativa.

Dessa forma a figura materna passa a ser mostrada de novas maneiras.


Na imagem acima vemos uma parte da pintura "As Três idades da Mulher". A mãe possui uma qualidade ligeiramente sonhadora, assim como a criança.


Este é um elemento que costuma ser infundido nas pinturas simbolistas.