top of page

A Arte está Regredindo ou Evoluindo?

Ok, este tema é delicado e controverso.



Quantas vezes já ouvimos falar "Ah, não fazem mais pinturas como antigamente", "Os artistas antigos se esforçavam muito mais" ou até mesmo "A arte contemporânea é preguiçosa".


Mas opiniões são apenas isso: Opiniões. Precisam de fundamentação teórica para se tornarem fatos. E aqui estou eu, tentando responder essa pergunta que tanto nos confunde:


"A arte está evoluindo ou regredindo?"


Vamos analisar um pouco da história da arte primeiro. Faz muito tempo, na época renascentista (Século XIV até XVI) ocorreu um grande "boom" artístico. Era o momento propício e perfeito para artistas da época produzirem suas obras, com esmero e carinho, já que a sociedade estava passando por um momento de apreciação cultural. Produtos resultantes dessa época são obras de valor incalculável, como por exemplo, Mona Lisa por Leonardo Da Vinci, Nascimento de Vênus de Sandro Botticelli, a Criação de Adão por Michelangelo, etc.


Essas obras são cheias de detalhes, anatomia precisa que beira a perfeição, conceitos de perspectiva incrivelmente avançados para a época, noção de enquadramento e de harmonia de cores. A arte era extremamente complexa na época, em termos técnicos.


--//--


Noite Estrelada - Vincent Van Gogh

Depois, surgiram diversos artistas no século XIX que se destacaram e impactam até hoje o mundo da arte, como Vincent Van Gogh, Claudio Monet, etc. Eles utilizaram técnicas criativas, que inovavam e surpreendiam as pessoas na época. Os traços, as cores escolhidas eram diferentes, expressivas e surreais. Foram surpresas.



Mas quanto mais o tempo passa, mais a arte inova. A arte precisou empurrar e eliminar os limites impostos pela sociedade, limites que diziam o que arte pode ou não pode ser. Estou falando de artistas revolucionários, como Pablo Picasso, Marcel Duchamp e Jackson Pollock.

O século 20 foi um turbilhão de mudanças nos conceitos de arte.


Picasso disse:


A Head of a Faun - Pablo Picasso

"Quando eu tinha 15 anos sabia desenhar como Rafael, mas precisei uma vida inteira para aprender a desenhar como as crianças"








Agora temos um dilema. Quem desenha melhor, Rafael Sanzio, artista do século XV, ou uma criança? A maioria das pessoas vai responder Rafael; mas Picasso afirma o contrário.


Autumn Rythm (Number 30) - Jackson Pollock

Jackson Pollock foi um grande nome da arte abstrata no século XX, e muitos julgaram seu trabalho como a sujeira e bagunça de uma criança, nem sequer era um desenho de criança, como no caso de Picasso.



Marcel Duchamp foi ainda mais longe: Ele afirmava que qualquer coisa poderia ser arte, contanto que você olhasse para aquilo como arte. Incluindo um urinol.

Fountain - Marcel Duchamp

O tempo passa e a arte contemporânea domina. O minimalismo, o abstrato, o figurativo e tudo o que há de mais criativo, adquiriu seu espaço no mundo da arte. Mas será que todos estão satisfeitos com isso?


Alguns dizem que os artistas ficaram preguiçosos.


"É muito mais fácil fazer alguns rabiscos de tinta do que pintar uma obra com estilo renascentista."


Portanto, muitos chegaram na conclusão: A arte regrediu.


Essa conclusão está errada.


Mas a arte também não evoluiu. A arte não pode ser medida, nem comparada. Ela não pode melhorar ou piorar, ela vai continuar sendo o que ela é: Arte. É por isso que ela é tão especial, e instiga a curiosidade de tantos.


A arte é um espelho da sociedade atual. Antigamente, ela retratava cenas que faziam sentido para a época, os artistas tinham que pintar imagens com clareza para conseguir passar uma mensagem. As pessoas eram mais simples, a arte tinha grande influência religiosa e os movimentos renascentistas estavam suplicando pela beleza do perfeito.


A nossa sociedade atual é um perfeito contrário. Caos, confusão, informação para todos os lados, todos em uma grande rede gigantesca, um castelo de areia feito de informação, feito de sociedade. O minimalismo, é uma súplica pela liberdade e simplicidade, pela calmaria e tranquilidade. O abstrato é um desejo desenfreado de expressar sentimentos, sentimentos que ninguém nunca nos ensinou à expressar.


Hoje a arte serve de protesto, serve como válvula de escape para a liberdade. Estamos em uma época em que todos, cada ser humano neste planeta, prezam por liberdade. E é esse o reflexo que a arte produz. Liberdade para se expressar, de forma simples ou complexa. Ninguém precisa parar de valorizar as obras realistas e precisas, você é livre para escolher se quer uma obra mais acadêmica ou mais liberal.


Em conclusão, arte não evolui nem regride, ela apenas se molda à sociedade.


Espero que tenham entendido e gostado!


Deixem sua opinião nos comentários :)


Escrito por:

Caio Ramírez


1 Comment


Rato XVIII
Rato XVIII
Mar 18, 2022

Realmente incríve, parabéns 👏🏽

Like
bottom of page